<META content="MSHTML 6.00.2900.2604" name=GENERATOR><!-- --><style type="text/css">@import url(https://www.blogger.com/static/v1/v-css/navbar/3334278262-classic.css); div.b-mobile {display:none;} </style> </HEAD><BODY><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8940721423393911285\x26blogName\x3dCoisas+de+uma+Chef\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/\x26vt\x3d8704643840310654996', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
segunda-feira, 20 de maio de 2013
Geleias e mais geleias (receitas)


Depois de tudo que falamos sobre geleias, deixo agora algumas receitas que se forem executadas observando-se todas as orientações e dicas anteriores, com certeza trarão excelentes resultados.

Geleia de pimenta



Ingredientes: 

- 300 g de pimenta dedo-de-moça 
- 8 xícaras (chá) de açúcar 
- 1 xícara (chá) de suco de limão 
- 2 xícaras (chá) de água 
- 2 xícaras (chá) de suco de laranja ou tangerina 
- 1 pitada de sal 

Modo de Preparo: 

Retire os cabos das pimentas. Bata todos os ingredientes no liqüidificador. Coloque em uma panela de fundo grosso. Deixe ferver em fogo baixo e vá retirando a espuma que se forma. O tempo redução varia conforme o fogão, de 20 a 40 minutos após começar a ferver. Deixe os vidros com água quente até a geléia ficar pronta. Coloque a geléia ainda quente nos vidros e tampe. 

Geleia de pimenta II



Ingredientes: 

1/2 kg de pimenta dedo-de-moça 
polpa de 1 melão médio picada 
2 xícaras (chá) de abacaxi picado 
10 dentes de alho descascados 
1 cebola média picada 
1/2 xícara (chá) de azeite de oliva 
1 tablete de caldo de carne 
2 xícaras (chá) de açúcar 
2 colheres (sopa) de gengibre fresco ralado
1 colher (chá) de cravo em pó 
1 colher (chá) de canela em pó 

Modo de Preparo: 

Limpe a pimenta e coloque-a no liquidificador com o melão, o abacaxi, o alho, a cebola, o azeite e o caldo de carne. Junte 1 litro de água e bata por 2 minutos, ou até obter uma mistura homogênea. Transfira a mistura para uma panela e adicione o açúcar, o gengibre, o cravo e a canela. Leve para cozinhar, mexendo sempre e, assim que ferver, reduza o fogo. Cozinhe por mais 1 hora, mexendo de vez em quando, ou até encorpar. Retire do fogo, deixe esfriar um pouco e coloque em potes de vidro esterilizados. 

Geleia de pinga



Ingredientes: 

- 22 folhas de gelatina branca 18 brancas e 4 vermelhas 
- 500 g de açúcar 
- 1 copo de pinga 
- 1 copo de água 

Modo de Preparo: 

Hidrate a gelatina no copo de água. Leve ao banho-maria para derreter. Noutra panela, junte a pinga e o açúcar e leve do fogo, mexendo, até o açúcar se dissolver todo. Junte à gelatina. Coloque num tabuleiro untado e despeje até a altura de mais ou menos 1 cm. Leve à geladeira. Quando endurecer, cortar em cubos e passar em açúcar refinado. 

Geleia de Jabuticaba 



Ingredientes: 

jabuticabas maduras, mas não passadas; 
açúcar cristal; 
água. 

Modo de Preparo: 

Lave bem as jabuticabas. Coloque-as numa bacia e amasse bem com as mãos ou com um pilão. Leve ao fogo numa panela grande, com um pouco de água. Deixe que cozinhem até que estejam macias. Passe numa peneira, como se faz com as papinhas para obter um purê das jabuticabas. Descarte os caroços e partes mais duras que não consiga fazer passar pela peneira. Meça a quantidade de massa por xícaras ou copos. Volte a massa assim obtida à panela, junte açúcar cristal (uma medida igual à massa - por exemplo: se obteve duas xícaras de purê de jabuticaba, junte duas xícaras de açúcar). Leve ao fogo, mexendo sempre, até engrossar. Coloque em vidros esterilizados e deixe 10 minutos em banho-maria, depois de tampá-los. 


Geléia de Mexerica / Geleia de Tangerina 



Ingredientes: 

12 mexericas; 
2 copos(americanos) de água. 
bicarbonato de sódio 
o mesmo peso das mexericas em açucar 

Modo de Preparo: 

Pegue as cascas de 6 mexericas e corte-as em tiras bem fininhas. Depois, deve-se eferventar essas tirinhas em um pouco de bicarbonato de sódio. Deixar em baixo da torneira até a água sair bem limpa. Cortar os gomos das 12 mexericas e triturá-los com o auxilio de uma faca. Não esquecer de retirar os caroços e reservar. Juntar as tirinhas das cascas de mexericas com os gomos e pesar, com igual quantidade de açúcar. Ferver os caroços à parte com 2 copos de água, durante 10 minutos. Jogar fora e juntar a água, ao resto. Levar ao fogo até tomar ponto. 


Geleia de Figo Fresco 



Ingredientes: 

2 kg de figos frescos 
1 limão em rodelas 
4 xícaras de açúcar 
1 xícara de água 

Preparo: 

Lave e descasque os figos. Ferva o açúcar e a água 5 minutos. Junte o figo e o limão e cozinhe rapidamente até ficar transparente. 

Geleia de Figo II



Ingredientes:

16 figos descascados em pedaços 
1 maçã ácida ralada 
2 xícaras de chá de açúcar 

Preparo: 

Em uma panela, misture todos os ingredientes e mexa para que o açúcar se dissolva. Cozinhe, mexendo de vez em quando, até obter consistência de geleia. Depois de fria, coloque em vidros esterilizados. 




Marcadores: ,








quarta-feira, 15 de maio de 2013
Um pouco sobre pectina




Como foi visto aqui, para que consigamos o ponto certo de geleia, torna-se necessária a ação da pectina. Só que alguns frutos não possuem pectina, o que se faria então necessária a adição da mesma.

Para saber se a fruta contém pectina faça o seguinte teste: coloque uma colher (sopa) de álcool numa xícara, e junte uma colher (sopa) de suco da fruta. Se aparecer uma formação gelatinosa é porque a fruta contém pectina. Caso contrário terá que ser adicionada então pectina caseira ou industrial nas quantidades abaixo: 

Pectina caseira: Para cada xícara de suco de fruta, use 1/2 xícara de pectina. 

Aprenda a seguir como preparar a pectina caseira.

   Pectina caseira de laranja


Rendimento: 40 colheres das de sopa de 17 g
Tempo de preparo: 30 minutos (mais 35 minutos de cozimento)

Ingredientes: 2 xícaras (chá) de pele branca de laranja-baía . 165 g

Modo de Fazer:Lave a laranja, elimine a casca externa (faça uma casca bem fina) e separe a pele branca. Pique em pedaços pequenos e meça 2 xícaras das de chá e coloque no copo do liquidificador com 6 xícaras (chá) de água (1.440 ml).  Bata por 2 minutos ou até obter um líquido homogêneo.

Leve ao fogo e cozinhe, mexendo de vez em quando, por 35 minutos ou até obter consistência encorpada. Retire do fogo. Despeje em uma peneira de malha fina aparando em uma tigela. Passe com uma colher.

Use a preparação (pectina) para fazer geleias.

Informações importantes: Guarde a pectina de laranja em recipientes de vidro esterelizados (tampados hermeticamente) e deixe na geladeira.
Não se esqueça de etiquetar a data do preparo.
Armazenado corretamente, o produto pode ser guardado por 4 meses.
Para fazer geleia, use 120 ml de pectina de laranja para ½ kg de frutas.

   Pectina caseira de maça




Rendimento: 200 g
Tempo de preparo: 20 minutos (mais 1 hora de cozimento)

Ingredientes: 1 kg de maçã de qualquer variedade

Modo de Fazer: Lave bem as maçãs, sem descascar, pique-as em pedaços pequenos (aproveite as sementes e os cabinhos) e coloque em uma panela com 1 litro de água. Leve ao fogo e cozinhe, mexendo de vez em quando, por 1 hora ou até a maça ficar bem macia (quase desmanchando). Retire do fogo.
Despeje sobre uma peneira forrada com tecido fino, aparando em uma tigela. Espreme com cuidado e muito pouco. Se espremer em excesso a pectina fica escura e deixa a geleia turva.


Volte o líquido coado para uma panela e leve ao fogo por 3 minutos ou até ferver. Retire do fogo.


Informações importantes: Guarde a pectina de maçã em recipientes de vidro esterelizados (tampados hermeticamente) e deixe na geladeira.
Não se esqueça de etiquetar a data do preparo.


Armazenado corretamente, o produto pode ser guardado por 4 meses.



Para fazer geleia, use 120 ml de pectina de maçã para ½ kg de frutas.


Pectina industrial: Use 1 colher (café). 

Pectina industrial: Use 1 colher (café) 


Frutas Ricas em Pectina: Maça, ameixa, goiaba, marmelo, limão, laranja, uvas pretas, damasco, tangerina, pêssego, jabuticaba e pêra. 

Frutas Pobres em Pectina: Morango, figo e abacaxi. 

Marcadores: , ,








terça-feira, 14 de maio de 2013
Instruções gerais para o preparo de uma boa geléia




Para que sua geleia fique perfeita, alguns cuidados são fundamentais; As frutas devem ser bem selecionadas. As frutas mais sólidas (marmelo, maçã, pêra, manga, etc) devem ser bem picadas  e as mais tenras (morangos, uva, amora, etc) devem ser levemente esmagados.
Após esta seleção e preparo, deve-se então adicionar água o suficiente para cobrí-las, o açúcar, (o ácido e a pectina se for o caso)  cozinhando até que fiquem tenras. Frutas tenras de 2 a 3 minutos. Frutas firmes de 15 a 20 minutos. Laranja de 30 a 60 minutos. 
A espuma que se forma em algumas geleias deve ser retirada com uma escumadeira.
Adquirido  o ponto de geleia  é hora então de colocar ainda quente nos vidros já esterilizados.

Mas como ter certeza de que os vidros estão bem esterilizados?




Para esterilização dos vidros e tampas, proceda da seguinte maneira:


1. Lave bem, todos os potes e tampas com água morna e detergente, retire os restos de rótulo deixando o pote de molho por algumas horas na água. Enxague.

2. Coloque uma panela grande com água no fogo.

3. Quando estiver quase fervendo abaixe o fogo e coloque todos os potes de vidro e tampas lá dentro. Deixe cobertos de água por uns 5 minutos. 




4.Retire-os com uma pinça que também deve ter ficado na água quente. A ideia aqui é aniquilar na água TODAS as bactérias e resíduos de cheiro que ficam nestes potes.




5. Forre uma bandeja com um pano de prato limpo e coloque os potes pra secar, virados de cabeça para baixo. Quando estiverem frios e secos, vire-os para cima, sem tocar nas bordas. Estão prontos para receber suas geleias e conservas.

É importante dizer que todos os mateiras de uso devem ser esterilizados: panos de prato, colher de pau, escumadeira inox, copos ou xícaras para medidas, vidros ou copos para armazenagem. 

6. Rotule as geleias e guarde. 

Algumas outras dicas devem ser observadas:


*Nunca "dobre" a receita. A quantidade certa para a preparação de geleia é de 4 a 6 xícaras de suco. 
*O açúcar varia da metade a uma vez e meia o peso do caldo das frutas. 
*Quanto mais pectina e quanto mais ácida a fruta, mais açúcar se adiciona 
*Ao cozinhar a fruta com o açúcar mexa até que o mesmo se dissolva completamente. Isso evita que o açúcar se queime e forme cristais que afetam a textura e a cor da geleia. 

Agora, como chegar ao ponto certo da geleia?! Para isso alguns testes podem ser feitos:

Teste da colher de pau: Inicialmente a geleia é rala e escorre, depois fica mais espessa e começa a cair em gotas. Quando a geleia esta no ponto, ela cai em placas. 

Teste do pires: Coloque uma colher (sobremesa) da geleia num pires deixando esfriar. Se depois de frio ela estiver compacta e enrugar ao inclinar o pires ou empurrar com o dedo está no ponto. 

Teste do Termômetro: Usar termômetro, temperatura de 105ºC. 

Observações: 

. Não deixe passar do ponto pois a geleia pode açucarar ou ainda ficar com gosto de açúcar queimado, ou com a consistência "puxa", meio a caramelo. 
. As geleias de cenoura damasco ou ameixa preta, ficam cremosas como um doce. O ponto é quando passando uma colher de pau, pode-se ver o fundo da panela. 
. Se a geleia não se firmar, deve-se recozer a mesma com pectina em pó.
 Dose: para cada 1/2 litro de geleia adicionar 1/4 de xícara mais 4 colheres (chá) de pectina. Misturar a pectina com água, ferver, mexendo sempre. Juntar a geleia mole, o açúcar e misturar. Ferver em fogo alto por 30 segundos. 
. Frutas com alto teor de pectina, repetir o cozimento. 





Panela de Cobre: Quem nunca ouviu falar do uso de panelas de cobre para cozimento de doces? Os óxidos de cobre que "revestem" as panelas favorecem o "ponto" das geleias: o cozimento das frutas libera moléculas de pectina contidas nas mesmas e o cobre se encarrega de reunir essas moléculas formando um rede que aprisiona a água e as frutas. Mas para quem não tem essa maravilhosa panela, saiba que o cálcio tem a mesma propriedade: coloque nos doces uma pitada de citrato de cálcio, ou um pouco de suco de limão, o efeito será o mesmo. 

Marcadores: , ,








segunda-feira, 13 de maio de 2013
Geleias e mais geleias


Sou apaixonada por geleias. Uma geleia caseira, conservando o verdadeiro sabor das frutas, é uma delicia. Sou apaixonada pela cozinha. Preparar eu mesma aquilo que gosto, ou poder agradar aos que amo preparando algo especial é meu maior prazer.Nos últimos dias tenho tentado unir estas duas paixões. Me meti agora a preparar geleias caseiras.

Preparar geleia não é tão difícil assim; basta um pouco de paciência e algum tempo disponível. 

Mas para que a experiência seja bem sucedida, é interessante conhecer um pouquinho sobre o assunto.

Existem três tipos distintos de geleias 

1 - Jam: Feita de frutas inteiras, esmagadas ou picadas, é consistente e macia. 

2 - Jelly: Feita com o suco da fruta, é clara, brilhante e firme. 

3 - Geleiada ou Marmelada: Feita com suco misturado com pedaços de fruta, é mais usada com frutas cítricas. 

Alguns ingredientes são essenciais para  se fazer uma geleia bem feita: frutos, pectina, acido e açúcar. 

Frutos: A fruta dá o sabor a geleia. Se não for escolhida com atenção pode alterar a consistência, a aparência ou mesmo não se formar a geleia. É importante usar frutos perfeitos (nem verdes nem maduros) limpos, preparados em uma só vez (não deixar descansar depois de cortada). Deve-se usar só faca inoxidável. Pode-se usar também sucos industrializados ou congelados. 

Pectina: É ela que dá o aspecto gelatinoso (gel) para geleia. Destinaremos um post em separado apenas à ela.

Ácido: É necessário para melhorar o sabor e ajudar a pectina na formação do gel. Sempre que a fruta tiver baixo teor de acidez, adicione o suco de limão na quantidade de 2 colheres (sopa) de suco para cada kg de fruta. 

Exemplos de frutas ácidas: 
Maçã, laranja, pitanga, limão, abacaxi, jabuticaba etc... 

Frutas com baixa acidez: 
Pêra, morango, pêssego, banana, caju, ameixa preta seca e rosa. 

Açúcar: Use o refinado ou cristal. Se quiser utilizar o açúcar mascavo, faze-lo na proporção de 25% para cada 75% de açúcar comum. Usar a mesma proporção para mel. O açúcar atua como preservante, sabor, doçura e ajuda na formação da gelatina. 

No próximo post daremos algumas instruções gerais para o correto preparo de uma geleia. É só aguardar....


Marcadores: , ,








Vai uma sericaia ai?!






Quem já provou uma maravilhosa sericaia  acompanhada de um aromático café preto servido numa caneca de barro ou mesmo de esmalte, com certeza jamais esqueceu.

Mas o que é uma sericaia, ou será sericá? (existem os dois nomes). Uns dizem que a receita veio da Índia, outros que ela veio do Brasil. O que é certo e que desde as origens era executada em dois conventos alentejanos que se arrogavam de direitos de importação da receita. Um, o convento das Chagas de Vila Viçosa, outro, o convento das Clarissas de Elvas. Um convento entendeu chamar-lhe sericaia e o outro sericá. De uma forma ou outra, é só no Alentejo que este doce era feito.

Mas agora você pode também prepará-la na sua casa.

Receita para 12 a 14 pessoas

Ingredientes

1 l de leite
1 pau de canela
12 ovos
500 g de açúcar
150 g de farinha
canela em pó, qb
sal, qb
casca de 1 limão



Preparo:

Ligue o forno e regule-o para os 225°C (bem quente).

Leve o leite para ferver juntamente com a casca de limão, o pau de canela e uma pitada de sal. Retire do fogo e deixe esfriar.

Enquanto isso, bata muito bem as gemas com o açúcar até obter um creme fofo. Em seguida, dissolva pouco e pouco a farinha no leite fervido, junte o creme de gemas e açúcar e mexendo sempre, leve a engrossar sobre fogo brando.

Retire do fogo, tire a casca de limão e o pau de canela e deixe esfriar.

Bata as claras em castelo bem firme e incorpore, cuidadosamente, no preparado anterior, que deverá estar frio ou ligeiramente morno.

Pré-aqueça um prato de barro no forno...

Deite em colheradas desencontradas, o creme num prato fundo e bem largo de barro, uma é posta no sentido do centro para as bordas do prato e a outra atravessada, depois polvilhe abundantemente com canela e leve para assar no forno.

Observações: Ao assar o doce, este deverá abrir gretas (como nas imagens).
Poderá certificar-se também se está pronto, furando-o com um fio de esparguete, que ao sair seco indicará a certeza de estar pronto.

Marcadores: , ,








quinta-feira, 9 de maio de 2013
Almoço para o dia das mães




Existem datas que mexem com o emocional das pessoas. O dia das mães é uma delas. Como gostaria de ter a minha mãezinha aqui... Mas também não dá pra ficar chorosa, pois afinal, também sou mãe e só isso já é motivo suficiente para comemorar. Ainda mais quando se é mãe dos dois melhores filhos do mundo.

E quando se fala em comemorar, o negócio é correr pra cozinha! Se pra muitos passar o dia das mães na cozinha é impossível, pra mim é um grato prazer. E este ano, o almoço foi pensando naquilo que EU gosto, claro! Mas será impossível não agradar o paladar dos filhos!

Chega de papo e vamos ao que interessa. Domingo sairá da cozinha da mamãe aqui, três delícias que amo!

Cuscuz marroquino, medalhão de filé mignon e tiramisu! Bora pra cozinha?!

O cuscuz é um prato muito usado na região magrebina – norte de África – que consiste em sêmola de cereais.Surge muito como alternativa ao arroz, batatas ou massa e é repleto de nutrientes. E será servido acompanhando o medalhão.

Cuscuz Marroquino com Amêndoas e Uvas-Passas




Ingredientes:

1 copo americano /250 g de cuscuz marroquino 
1 copo americano de água 
3 colheres (sopa) de azeite 
2 colheres (sopa) de salsinha picada
1 colher (sopa) de manteiga 
100 g de amêndoas laminadas e torradas
6 colheres (sopa) de cebola roxa
4 colheres (sopa) de uvas-passas 
2 dentes de alho fatiados
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de Preparo:

1. Leve uma chaleira com a água ao fogo alto para ferver.

2. Coloque o cuscuz marroquino em uma tigela refratária e adicione água fervente. Tampe com um prato e deixe hidratar por 5 minutos.

3. Acrescente 1 colher (sopa) de azeite de oliva, a manteiga e 1 pitada de sal ao cuscuz. Misture bem e reserve.

4. Descasque a cebola e corte na metade. Corte as metades em fatias bem finas formando meias-luas. Corte os dentes de alho em fatias finas.

5. Em uma frigideira grande, coloque o restante do azeite e leve ao fogo médio para aquecer. Em seguida, junte a cebola e o alho e deixe dourar.

6. Junte as uvas-passas, as amêndoas e, por último, o cuscuz hidratado. Mexa bem. Tempere com sal e pimenta-do-reino.

7. Polvilhe com a salsinha picada. Sirva a seguir.


Medalhão de filé mignon



Ingredientes:

- 1 peça filé mignon cortado no formato de medalhão
- bacon fatiado
- sal, pimenta a gosto
- palitos para prender o bacon
- manteiga para dourar a carne 

Outros ingredientes:

- leite o suficiente
- cebola bem picadinha 
- 3 colheres (sopa) de creme de leite
- sal
- cogumelos fatiados
- maizena o suficiente para engrossar o molho 
- cheiro verde picado

Modo de Fazer:

Tempere a carne. Enrole o bacon em cada fatia prendendo bem com palitos.
 Em  uma frigideira (usei de ferro) derreta a manteiga (coloque um pouquinho de azeite para não queimar a manteiga) doure ai os medalhões até ficar no ponto desejado, eu prefiro mal passado. Coloque em uma travessa e reserve.


No fundo que formou na frigideira, frite a cebola. Adicione leite mais ou menos 1 copo depende da quantidade de carne, o sal, cogumelos, a maizena dissolvida em um pouco de leite frio, mexendo  até engrossar. Desligue o fogo junte o creme de leite misturando bem. Coloque esse molho sobre os medalhões e polvilhe o cheiro verde picadinho.

E pra finalizar,minha sobremesa preferida 

Tiramisu




Ingredientes:

- 3 ovos (as claras batidas em neve)
- 300 g de mascarpone (queijo italiano)
- 2 dl de creme de leite (200ml)
- bolacha champagne
- açúcar
- café
- amareto (licor de amêndoas)

Modo de Preparo:

Bata 3 colheres de açúcar com 2 colheres de água, junte as gemas e por último o mascarpone.
Bata separado o creme de leite, misture devagar com uma colher (não bata), o restante de cima, por último as claras em neve.
Molhe as bolachas num pouco de café forte misturado com o amareto, cubra o fundo de uma forma, coloque um pouco do creme, bolachas, creme e por cima chocolate em pó.
Sirva no dia seguinte.




Marcadores: , , ,








terça-feira, 7 de maio de 2013
Feirinha Gastronômica de Vila Madalena




Se existe algo que tem provocado o meu imaginário , aguçado meu paladar e me deixado com uma vontade louca de voltar a Sampa o mais breve possível, trata-se da Feirinha Gastronômica de Vila Madalena.

Diferentemente dos outros eventos gastronômicos que já pipocam na cidade desde 2012, a Feirinha gastronômica, que acontece aos domingos na Vila Madalena, inova tanto pela periodicidade semanal, quanto pela possibilidade dada a estudantes e amadores de se inscreverem para expor seus quitutes.

A iniciativa veio da chef Daniela Narciso e do produtor cultural Márcio Schuartz, os organizadores do Chef na Rua - projeto que leva chefes de cozinha a fazerem comida na rua para o público - com a ideia de trazer a boa comida a céu aberto para o final de semana. 

Como era de se esperar a Feirinha Gastronômica traz variedade e diversidade, chefs famosos e cozinheiros desconhecidos, tudo saboroso e sempre com um quê de diferente. Um espaço aberto para o encontro entre os amantes da boa gastronomia e os apaixonados por panelas e fogão. 

Hospedada na rua Girassol 309, na região da Vila Madalena, e aberta todos os domingos entre as 11h e 19h, a feira é de fácil acesso para todos e um local divertido para ir conhecer os pratos e pessoas circulando no bom cheiro que fica no ar.

Deixo abaixo fotos de alguns pratos deliciosos e seus chefs maravilhosos que já passaram por lá. As fotos foram "garimpadas" no facebook, em postagens de amigos que semanalmente me "matam de inveja e vontade".





Marcadores: , ,








segunda-feira, 6 de maio de 2013
Como receber com queijos e vinhos





Uma boa opção para uma recepção informal em sua casa é receber com queijos e vinhos. Contudo, é importante tomar cuidado com que harmonização irá fazer, pois cada queijo harmoniza melhor com um tipo específico de vinho. Os queijos suaves devem ser acompanhados por vinhos suaves e os queijos fortes por vinhos encorpados.

A primeira medida é decidir quantos tipos de queijo comprar. Cerca de cinco ou seis tipos é o ideal, uma média de 200g por convidado. Sirva pães como acompanhamento, do tipo baguete ou italiano. Se quiser também pode servir fundae.

Após a escolha dos queijos eles devem ser postos em um refrigerador e retirados uma hora antes de serem servidos. Isso fará com que eles ganhem em sabor e textura. Qual tipo de queijo escolher? Bom, existem os queijos mais ou menos maturados, alguns mais requintados. O ideal é fazer um mix, ou seja, servir de todos os tipos, desde o mais maturado ao menos e do mais requintado ao menos, para que haja uma variação no paladar.

Os queijos mais maturados são: Gouda envelhecido, Old Dante Master, Prima Dona Azul e Vermelho. O Old Master combina melhor com um vinho tinto Cabernet Sauvignon, Malbec, Syrah ou Touriga Nacional. O Prima Dona Vermelho tem um sabor mais acentuado e mais requintado, já o Azul é mais cremoso e suave. 

Dentre os queijos suaves pode-se citar Gouda, Edam, Prato, Minas padrão, Saint Paulin. Já entre os fortes estão Gorgonzola, Ementhal, Roquefort e Camembert (envelhecido).

Uma dica interessante é temperar os queijos. O Camembert ou o Brie ficam excelentes com geléia de framboesa, damasco ou pimenta. Para isso bastar abrir uma cavidade no queijo, adicionar o recheio e pôr no micro-ondas por 30 segundos, ele irá incorpar o sabor do tempero. O Gorgonzola combina muito bem com molhos e com pêra ou uva.

Vale lembrar que cada queijo deve ter sua faca e é bom que sejam identificados com plaquinhas. Aí é só aproveitar o momento e se deliciar com tantos queijos e vinhos saborosos.

Fonte: Viticultura

Marcadores:








quinta-feira, 2 de maio de 2013
Cachorro quente com pedigree





Parece que o sanduíche da estação continuará sendo o hot dog, ou melhor, o nosso cachorro quente. Por quê?! Simplesmente porque ele é a perfeita tradução da  culinária reconfortante. Traduzindo: ele é fácil de fazer e deixa todo mundo feliz! 


O cachorro quente é um dos sanduíches mais consumidos pelos americanos. Ele nasceu lá, mas o seu ingrediente principal – a salsicha- era importada. A salsicha de Frankfurt era vendida nas ruas da Big Apple por imigrantes recém desembarcados do “velho continente”, a Europa.  Para facilitar, colocavam a salsicha envolta em um pão: assim nasceu o cachorro quente. O açougueiro alemão Charles Feltman abriu o seu primeiro corner na Coney Island por volta de 1870 e fez fortunas. Alguns anos mais tarde, ele foi destronado por um de seus antigos empregados, Nathan Handwerker que abriu o Nathans Famous, até hoje uma referência americana, ou até mundial, do cachorro quente.



Se o hot-dog cresceu no Brooklyn, hoje encontramos muitas variações dessa receita “new-yorkaise” na França.  O “chien chaud”, cachorro quente em francês, depois de algum tempo vem sendo um dos sanduíches mais requisitados em alguns lugares super “branchês” de Paris.

O cachorro quente clássico é delicioso mas ele fica "turbinado" quando é reinventado por algum chef estrelado. O primeiro na França a tentar essa variação gastronômica – o cachorro quente com pedigree foi Thierry Marx, no fim dos anos 90 com uma salsicha de chevreuil  (ovas!), mostarda americana e cebolas fritas, tudo servido em um pão brioche salgado no salão super chique do seu restaurante de Cordeillan-Bages, um Relais Chateau.


Terroir Parisien

Mas o hot-dog que está dando o que falar e, chegou até nas páginas do New York Times este ano, foi o do chef Yannick Alléno. Ideal para se degustar no balcão do seu mais novo restaurante o Terroir Parisien. A salsicha de vitela que vem acompanhada do molho “gribiche” - à base de maionese e ovos- é servida dentro de uma baguete branca te abre as portas para novos horizontes....... que permitem facilmente imaginar que a França adotará muitos outros cachorros quentes nesse inverno.

Agora, que tal correr pra cozinha e preparar um cachorro quente turbinado?!

Você pode usar:

Pão baguete

Salsichas
Queijo Emmenthal
Queijo Parmesão
Mostarda Dijon

Faça assim:

Ferva as salsichas e corte a baguete exatamente do tamanho de uma salsicha. Corte duas lascas de emmenthal iguais a baguete já cortada, mais 2 cm maiores do que ela, no comprimento. Corte a baguete ao meio, formando duas canoas. Passe bastante mostarda na parte interna das duas canoas. Depois coloque uma das lascas de emmenthal na canoa debaixo e rale um pouco de parmesão por cima. Faça exatamente a mesma operação com a outra canoa que vai ficar por cima. 
Coloque a salsicha no meio das duas canoas já preparadas e leve ao forno. Como as fatias de emmenthal são 2 cm maiores que as canoas (da baguete), observe cuidadosamente esse pedaço de queijo que ficou para fora, até ele derreter.
Derreteu, está pronto. Sirva acompanhado de uma taça de Gevrey-Chabertin.








Marcadores: , ,